• Rio Claro: (19) 3533-5656
  • Santa Gertrudes: (19) 3545-0808

URINA TIPO I

URINA TIPO I

Solicitar Orçamento

Material: URINA

A urina normal apresenta coloração amarela clara e límpida. A presença de sangue a torna com coloração avermelhada e é um sinal de várias doenças renais ou do trato urinário. O uso de alguns medicamentos pode deixar a urina com a cor verde, azul ou laranja escuro, importante informação a utilização dos mesmos. A turbidez da urina pode significar a presença de bactérias, ou descamação de células do trato urinário em excesso, indicando processo inflamatório. O pH avalia a presença de cristais e possíveis distúrbios renais, os quais causam incapacidades de secretar ou reabsorver ácidos e bases. Seus valores aumentos podem indicar a presença de cálculos renais, infecção urinária, principalmente por bactérias que utilizam ureia. Valores diminuídos indicam perda de potássio, dieta rica em proteínas, infecção por E. coli e diarreia severa. A densidade avalia a capacidade do rim em concentrar a urina. Quanto menos água houver na urina, maior será sua densidade. Valores altos indicam desidratação, diarreia, vômitos, diabetes mellitus, etc. Valores baixos indicam uso excessivo de líquidos, insuficiência renal crônica, hipotermia, hipertensão, etc. A presença de leucócitos na urina costuma indicar que há alguma inflamação nas vias urinárias. Em geral, sugere infecção urinária, mas pode estar presente em várias outras situações, como traumas, uso de substâncias irritantes ou qualquer outra inflamação não causada por um agente infeccioso.

Instruções:

Homens: lavar o pênis, com água e sabonete, distendendo todo o prepúcio e secar com toalha limpa. Mulheres: lavar a região genital e anal, com água e sabonete, de frente para trás, enxaguar com bastante água e secar com toalha limpa, de frente para trás, sem fazer movimentos de trás para frente. A presença de sangue menstrual pode interferir no resultado do exame. Colher, preferencialmente, a primeira urina da manhã ou com intervalo mínimo de 04 horas após a última micção. Desprezar o primeiro jato de urina (porção inicial da urina) no vaso sanitário e, sem interromper a micção, coletar o segundo jato de urina (jato médio, não encostando o frasco na região genital).